Creative Strategy e Storytelling. Dizemos o mesmo que todos, mas fazemos diferente de todos.

1.April.2019

Não há agência, seja qual for a dimensão ou posicionamento, que não fale hoje em storytelling. E não há keynote speaker, do mais interessante com boas histórias para nos contar, aos novos “profissionais” das talks, que não fale de storytelling como algo que deve viver a 360º na comunicação. E qual é problema? O problema é que na 9 dizemos exactamente o mesmo : )

Então, como podemos querer diferenciar-nos como agência se defendemos exactamente o que todos dizem? A resposta é fácil mas nem sempre simples: implementando mesmo aquilo que defendemos.

Na 9, desde o início da agência, que acreditamos que a parte mais fundamental da estratégia criativa (o que hoje todos chamam vulgarmente de storytelling) é o potencial da mesma ser aplicada de forma coerente, consistente, complementar e com impacto nos mais diversos suportes de comunicação, quaisquer que eles sejam. Não o dizemos por dizer, fazemos acontecer!

Com a chegada abrupta da revolução digital, esta nossa defesa tornou-se ainda mais lógica e fundamental. A dispersão dos suportes de comunicação e as diferentes formas de transmitir mensagens aos clientes necessitam de uma agilidade criativa e versatilidade de conhecimento que muitas agências não exercitam ou não implementam. Muitas vezes até têm os departamentos necessários mas estes estão tão divididos em silos e afastados uns dos outros que acabam por matar a coerência entre peças de uma mesma campanha e o storytelling deixa de existir o que retira força à marca.

Este factor, comum nas maiores agências, só tornará uma campanha já por si dispersa pelos novos media numa ideia igualmente dispersa.

Mesmo em lançamentos de startups ou marcas mais pequenas e campanhas com budget de media reduzido, é fundamental que o investimento seja mais certeiro e coerente. Assim sendo, ter um storytelling coeso torna-se ainda mais importante, evitando o risco de se investir em conversas pontuais que não trazem solidez à marca.

Na 9, as ferramentas são trabalhadas em conjunto, por pessoas que trabalham estes diferentes suportes também em conjunto, sentadas à mesma mesa e, quando necessário, com outros players especialistas na cabeceira.

É isso o que nos torna diferentes e coerentes. É o que torna o storytelling forte mesmo que se vá buscar partes da história a lugares diferentes. Misturamos knowhow, cruzamos valências, experimentamos equipas de disciplinas diferentes, e, acima de tudo, respeitamos todos, sem exceção, que uma boa ideia central deve ganhar com a intervenção de uma equipa multidisciplinar. Esta ideia não se pode nunca perder pelo caminho. Este é o storytelling da 9 para que o seu storytelling seja um sucesso.

O que as indústrias criativas podem aprender com Conan Osíris é teu ou é da briefing?

27.March.2019

#posicionamento: O primeiro ponto, é que não acredito que Conan Osíris, ou Tiago Miranda (nome verdadeiro), seja minimamente ingénuo ou, como ás vezes parece em entrevistas, um cabeça no ar que fala sem pensar muito nas consequências do que está a dizer. Cada detalhe que traz, cada frase que canta, em cada traje que veste, tudo o que faz é pensado, posicionado ao pormenor e quanto a mim de forma altamente distintiva.

#estratégia: Conan consegue unir a sua música a uma espécie de movimento de arte moderna.  Cada aparição de Conan é uma performance artística provocante, desafiadora, que invariavelmente se torna viral e em que muitas vezes os portadores principais da estirpe são os seus maiores críticos. Eu, acho que Conan sabe bem fazer com que isso aconteça, acho que é premeditado. E isso revela consistência estratégica.

O que mais podemos aprender com o Tiago Miranda enquanto criativos? Muito! Algumas regras são até bem básicas mas por vezes temos tendência a esquecê-las, e o Tiago juntou-lhes actualidade.

#target: A mais simples de todas e talvez a razão porque todos estamos a falar dele neste momento: se queremos agradar a todos não vamos marcar posição relevante. É melhor ter a populaça dividida entre adeptos ferverosos e haters, do que as pessoas gostarem todas medianamente de nós – esses não votam em nós para ganharmos festivais ou não compram sem quaisquer dúvidas o nosso produto.

#content: Outro ponto a favor do Tiago é criação de conteúdo sempre coerente com o posicionamento ou storytelling pré-definido, neste caso de “performer de arte moderna arrojada”, e que vai desde os detalhes da sua biografia oficial em que sublinha que nasceu no mesmo dia do realizador de cinema de animação Hayao Miyazaki (ou seja, 5 de janeiro) até à escolha do local para lançamento do seu mais recente disco, a Galeria Zé dos Bois.

#disrupção: A personalidade arrojada e desafiadora também é sem dúvida chamativa. O seu percurso “atrevido”em que gosta de salientar que trabalhou numa sex shop em que vendia muitos estimuladores para clitóris, as letras sexualmente explícitas proferidas de surpresa em programas diurnos e a atitude de que tudo o que é tabu ou “estranho” mas actual pode ser falado dentro de uma forma de arte, fazem parte de um embrulho consistente. Quem é da área também já deve ter reparado que a marca FILA (a quem desde já dou os parabéns pela capacidade de arriscar) veste Conan e o dançarino que o acompanha. Só esta parte é que não convém exagerar para não sairmos do registo artista para influencer de moda. Até agora foi tudo muito bem equilibrado na forma de fazer e tratar os conteúdos.

#insights: Para acabar, confesso-me fã do Conan Osíris, não tanto da música mas do marketeer/criativo/artista, e espero que alguma desta inteligência venha do facto de ter estudado art e design como muitos de nós criativos, associando-lhe uma boa observação das pessoas e da sua vida, algo que todos nós também deviamos fazer mais de forma a enriquecer o nosso trabalho e, por conseguinte, o nosso mercado.

#tendências: Quando acabo de escrever este texto recebi um Whatsapp de um amigo com a música de Conan “Quem me dera que fosses para o caralho!”. Esperem. Esta música não vos faz sentido em alturas específicas da nossa vida? Decidi ouvir as outras músicas todas outra vez. “Adoro bolos” sem dúvida um desabafo sobre um problema que não é um problema na verdade no meio dos assuntos relevantes da nossa vida como o amor, e quantas vezes os confundimos? “Eu é que sou borrego” sobre a culpa de numa relação estragada ou a famosa “ Telemóveis”, esses objectos que já são parte tão integrante das nossas vidas mais íntimas.

#resultados: Se calhar, até gosto da música de Conan. E mesmo tudo o que não faz sentido nas suas letras, sendo de propósito, não passa a fazer sentido enquanto arte propositadamente louca? Bem, uma coisa é certa, eu estou aqui a escrever sobre ele! E ficava orgulhoso que tivesse uma grande prestação no festival da canção como culminar de uma estratégia tão interessante.

 

Fred

Tudo na 9 é sobre transformação.

4.March.2019

“Transform yourself to transform others to transform transformation.”

A primeira vez que ouvimos esta frase foi em Berlin, pela boca do Professor David Slocum. Rapidamente nos identificámos com ela. Falavamos do mundo estar em constante transformação e das pessoas/empresas que não a acompanhavam deixando de fazer parte da mesma. Perguntámos a este professor de onde vinha aquela citação que nos tinha marcado positivamente, respondeu que nem se lembrava de ter dito aquela frase. Não obstante, é hoje uma parede da nossa sala de reuniões da 9 lembrando a quem lá entra que se deve estar disponível para a mudança.

A verdade é essa. O mundo está a mudar rapidamente. As marcas devem perceber essa transformação e decidir como a vão acompanhar de forma positiva. Esta é a era da guerra das apps, das startups, mas também deve ser das restarts ou start-again, das reset, das redesign e das re-adapt.

Só porque nascem depressa as marcas novas não devem esquecer o que é chegar ao mercado nesta fase e como devem estar defendidas na sua forma de estar, de falar, de se posicionar num mercado extremamente concorrencial onde o storytelling tem uma importância cada vez maior. Mas também as marcas já estabelecidas devem “pensar-se” continuamente e transformar-se face às novas realidades para não ficarem para trás e fora da “shopping list”. Na 9 estamos a adorar esta era, apoiando os clientes na sua auto-transformação contínua, a adaptarem-se a um mundo aberto, tecnológico, que torna os diálogos cada vez mais cara-a-cara com o cliente.

Aliás, em numerologia 9 significa a transição do velho para o novo, renascimento, o começo de um ciclo. Ou seja, ajudar clientes em transformação foi o que nos transformou no que somos hoje.

, , , ,

Meet the new transformed 9

5.June.2018

Acreditamos que é sempre na criatividade que está a solução.  Em todas as plataformas, suportes, mundos ou negócios, uma boa ideia ganha sempre.

Connected.

Diz-se que uma boa ideia vem de conectar dois pontos diferentes. Nós acreditamos que também vem de conectar pessoas e não só.  Equipas e clientes, suportes e disciplinas, racional e emocional, criatividade e tecnologia.

Communication.

É a base do que fazemos.  Somos uma agência que ajuda bons clientes a comunicarem bem as suas marcas, serviços, produtos e vantagens. Que ajuda a enviar mensagens e a fazê-las chegar ao destinatário correto com mais impacto.

Vejam mais aqui.

9 numa parceria de sonho.

5.March.2018

Frederico Roquette, partner e director criativo da 9 em representação da Terra dos Sonhos no Telejornal da TVI24.

 

É com grande emoção que a 9 está a apoiar a Terra dos Sonhos na estratégia de divulgação do seu Musical que vai agora para a sua 2ª edição.

Apesar da imagem ser uma evolução muito coerente com a primeira edição, a 9 apoia esta instituição no desenvolvimento de todos os materiais gráficos e digitais, estratégias de activação e parcerias com apoios.

Desafiamos todos os nossos parceiros e amigos a apoiar esta causa assistindo a este magnífico musical com provas dadas, adquirindo bilhetes solidários ou simplesmente através de donativos. As receitas revertem para a realização de sonhos de crianças e adolescentes com doenças crónicas ou institucionalizados, e idosos.

Bilhetes disponíveis na ticketline:


Bilhetes Lisboa
https://goo.gl/bkprVE
22 a 25 de Março na Culturgest – Fundação CGD

Bilhetes Porto

https://goo.gl/tV3x6R
1 e 2 de Abril na Casa da Música

Bilhetes Solidários
https://goo.gl/DKKRLU

, ,

Member of the Board

27.April.2017

Frederico Roquette nomeado Member of the Board da network Image Partners

Após 2 anos da entrada da 9 na network Image Partners, o Frederico assume agora o cargo de Member of the Board, juntamente com representantes da Bélgica, Suíça e Alemanha.

Frederico_imagepatners

“Esta nomeação tem para mim um sabor especial pois sendo um dos mais novos entre os representantes dos diferentes países considero que a minha função passa por trazer alguma jovialidade e tornar a network mais ‘creative friendly’ apoiando não só a gestão das agências, mas também a formação em estratégia e criatividade”

The Back Row Project

25.January.2016

Talent 9

Na 9 respira-se criatividade para além do trabalho do dia-a-dia. Conheça o talento, espírito, cultura e personalidade desta família para além daquilo que vê numa página de revista, num outdoor, brochura ou website.

tbrp

Inês Munhá. O braço digital do “The Back Row Project”.

A Inês é Digital Art Director e o irmão dela é o aventureiro João Munhá Sousa. Um aventureiro com uma perspectiva diferente, que não olha só para o horizonte mas também para o que está pelo meio. Alguém que anda pelos cantos do mundo, que vai fotografando o que vê, guardando e partilhando com a ajuda da Inês numa plataforma desenhada por ela: thebackrowproject.com

mobile


4ª Guerra dos Bairros – A Padaria Portuguesa

21.December.2015

A Guerra dos Bairros é um dos mais importantes momentos de comunicação da Padaria Padaria ao longo do ano. A ideia é juntar os bairros numa “guerra” onde a loja vencedora ganha um dia de pão de deus à borla na sua Padaria Portuguesa. 

Nesta 4ª edição, o conceito foi criado em cima de uma expressão portuguesa, dentro do estilo de comunicação da marca, que se tornou ao mesmo tempo um call-to-action para mobilizar as pessoas a entrar na guerra mais doce de Lisboa e votar na sua loja de eleição. 

A loja vencedora da 4ª Guerra dos Bairros foi A Padaria Portuguesa do Lumiar.

cartaz loja espelho loja facebook 1 facebook 2 facebook instagram rfm GB

Get To9ether | Uma marca bairrista

7.December.2015

Foi no passado dia 9 de Novembro que se realizou a 1ª Conferência do Get Together. 

Com a intensão de partilhar experiências entre clientes, colegas e convidados, o Get Together foi apresentado por Nuno Carvalho, director geral da Padaria Portuguesa, que nos veio falar sobre o que é ser uma Marca Bairrista. 

A 2ª conferência irá acontecer no dia 9 de Dezembro e iremos receber a Helena Amaral Neto, Business Development Director do ISEG, que nos irá falar sobre Marketing de Luxo.

A todos os interessados, basta que confirmem a sua presença em www.nove.pt/to9ether

12227234_10153721425319770_7597429286891043408_n 12241698_10153721425219770_7028821155997779514_n 12241211_10153721425224770_5790574774276638109_n 12241673_10153721425109770_5438915602379324535_n 12234964_10153721424784770_435669030124687768_n 12235019_10153721425209770_2146530803557904044_n 12208534_10153721424779770_2937685075435451493_n 12196340_10153721425304770_6945296462143243356_n 12196198_10153721425104770_3774583052767540544_n 12195948_10153721425369770_7408283602035536100_n 11209610_10153721424949770_2307520455202578831_n 12193315_10153721424969770_5608460239839453687_n 12187892_10153721424934770_2460370431100007209_n-1 12187892_10153721424934770_2460370431100007209_n 11251384_10153721425089770_7553457519490775898_n

Herdade da Cortesia Hotel

12.November.2015

Primeiro trabalho desenvolvido para o Herdade da Cortesia Hotel. O objetivo foi realçar os pequenos almoços sem horas, com cartazes a serem veiculados nas zonas comuns do hotel.

Image Partners

Conheça a nossa nova família alargada! A 9 juntou-se recentemente à network Image Partners que reúne um conjunto de agências da Europa e Estados Unidos da América. Agora estamos prontos para conquistar o mundo:)

 

buzz tram

14.August.2015

É sempre bom ver um projecto 9 nas bocas do mundo. E quando faz parte de um conjunto de elogios à cidade de Lisboa, melhor ainda! O projecto foi desenvolvido para a Yellow Bus, empresa pertencente à Carristur, responsável pelos tours oficiais de eléctricos públicos em Lisboa. Saiba mais aqui.

Fonte: http://goo.gl/2AbEFH

9 em Nova Iorque

23.July.2015

O Frederico, CEO e director criativo da 9, está em Nova Iorque a convite da BBH para participar no Griffin Farley's Beautiful Minds. Um programa intensivo de estratégia leccionado por alguns dos melhores profissionais da área.

Saiba mais aqui: http://griffinfarleysbeautifulminds.com/

Filipa Costa Félix, a designer que já foi da 9, já deixou de ser 9 e voltou agora para a 9

1.July.2015

9: Estavas com saudades?

Filipa: Saudades sempre. Mas é tão bom voltar a “casa”.

9: O que aconteceu entretanto na tua vida?

F: Fui Mãe, voltei para a 9, fiquei um bocadinho mais velha, fui Mãe outra vez e… Ha! Voltei para a 9!

9: Quem é o teu cantor preferido e música (só para te colocar numa situação difícil)?

F: Uiii pergunta rasteira mas fácil. “Family Tree” do Frankie Chavez :) Diz-me tanto! A música e o cantor claro.

9: Falando da nossa área, a que trabalho dás um Leão em 2015?

F: Juro que não é "cliché” mas dava muitos Leões à dedicação que a 9 põe em tudo o que faz. Sem ser isso, destaco a campanha “The Gun Shop”, pelo impacto que causou e pelo "orgulho nacional” de ter sido feito pelo João Coutinho da Grey New York.

Nasceu o pré-pitch

18.June.2015

Um pré-ponto:
Todos os responsáveis de agências já se depararam com a questão, muitas vezes ética e disfuncional, da incompetência de possíveis futuros clientes na organização de pitchs para escolha de uma nova agência. Já muito se escreveu sobre isto e, normalmente, as agências acusam as outras agências de cederem a regras incompetentes de clientes incompetentes que prejudicam o nosso mercado.

Falta de pré-preparação:
É verdade. O nosso mundo tem sido assolado por pitchs mal preparados e organizados, não remunerados, mal briefados, excesso de agências na consulta, falta de quantificação de budget, etc…e acho que as agências podem exigir mais dos clientes…mas… quando já nada podia piorar…piorou!

Nasceu o pré-pitch.

O pré-pitch é uma nova tendência de pré-clientes para fazerem pré-pesca de ideias a agências sem as pré-remunerarem e muitas vezes para alimentar um pré-plano de marketing (já aconteceu 3 vezes onde trabalho no último mês). Como acontece? Normalmente recebemos um mail ou telefonema a convidar para um pitch mas com um twist no final: “…só mais uma coisa, eu sei que não é comum sem vos passar briefing mas como uma agência que cá veio acedeu a isso vou pedir-vos também a vocês - tragam já algumas ideias de coisas giras que podemos fazer!”

Pré-pânico! Uma pré-apresentação para resolver um pré-problema que pré-desconhecemos que provavelmente vai resultar na angariação de um pré-cliente….Não acreditei totalmente neste pré-requisito do qual discordava e espero que os meus colegas façam o mesmo. Voltei a perguntar… como? Que agência fez isso sem saber nada de vocês?

Responderam-me com o nome de uma agência que pré-admirava.

 

by Frederico Roquette

imagem: http://bza.co/index.php 

#areyoubraveenough

6.April.2015

A 9 desenvolveu o site para o photo challenge Are you brave enough to stand out and prove your love? da Diesel. Uma parceria com a M Public Relations.

A Diesel procura almas gémeas que se completam. Tattoos que se ligam. Cabelos que se entrelaçam. Roupa que se cruza. Tens coragem suficiente para provar o teu amor? Participa em http://areyoubraveenough.pt/

Super Bowl

5.February.2015

Há quem diga que o melhor da final do Super Bowl é o intervalo. As marcas investem literalmente milhões em publicidade (3,5 milhões de euros por 30 segundos) para que o seu spot de TV seja visto por 110 milhões de espectadores em todo o mundo. Uma loucura que merece ser vista. Faça um intervalo e escolha os seus favoritos:

http://www.nfl.com/superbowl/49/commercials.

E para quem estiver interessado, ganharam os Patriots.

, , ,

#queremos

4.February.2015

Eu sei que o Natal ainda está longe... mas precisamos disto com urgência! Eles é que sabem:

,

Got to Go!

3.February.2015

A 9 foi responsável pela criação da marca Got to Go!, o serviço shuttle de transporte de turistas do aeroporto para a cidade e vice-versa. Para além da marca foi também desenvolvido o website de reservas - www.gottogo.pt - e a decoração das carrinhas, com um toque “very typical”. Só por isto já vale a pena ser turista.

, , , , , , ,